Home Futebol Masculino Opinião: Ausência de vergonha na cara é ser homofóbico

Opinião: Ausência de vergonha na cara é ser homofóbico

-

Nesta quinzena, tive bastante dificuldade em encontrar um tema para a coluna. Não por falta de assunto. Afinal, existem competições e campeonatos esportivos em andamento e estamos às vésperas dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Mesmo gostando de esportes, confesso que está difícil aceitar que tudo isso está acontecendo em meio a uma pandemia – e que milhares de pessoas estão morrendo todos os dias. Pensei em escrever sobre esse assunto. Questionar se realmente precisamos por pessoas em risco para mantermos nossas paixões. Mas dia 17 de maio foi Dia Internacional de Luta Contra a Homofobia e acho importante falarmos sobre o tema. 

Nos últimos dias, dois áudios de conselheiros do Sport Clube do Recife vazaram na imprensa, causando bastante revolta nas redes sociais. O motivo foi o teor homofóbico da conversa sobre o vídeo da visita de Gilberto Nogueira, o Gil do Vigor, ao clube. Foram mais de 1,2 milhão de visualizações. Torcedor do Sport, Gil foi convidado pela diretoria a conhecer a Ilha do Retiro e, entre conversas, fez o “tchaki-tchaki”, coreografia que se tornou famosa na última edição do Big Brother Brasil. 

Em um dos áudios um dos membro do conselho fala:

“1,2 milhões [sic] de pessoas achando que o Sport só tem viado, só tem bicha. Vai vender é camisa. A viadagem todinha vai comprar. Vai ser lindo! […] Se ele tivesse feito essa dancinha na casa dele ou no bordel, eu não estava nem aí. Foi dentro da Ilha do Retiro, né rapaz? Isso é uma desmoralização! Isso é ausência de vergonha na cara”.

Saibam que ausência de vergonha na cara é ser homofóbico. Atitudes como essas, caros conselheiros, incentivam as mortes, os espancamentos e as restrições às populações LGBTI+. Isso sim é desmoralização, é depravação. Isso envergonha a marca, não a dancinha do Gil do Vigor.

Depois da repercussão do caso, o conselheiro (autor das palavras expostas acima) respondeu às acusações. Afirmou que o áudio foi tirado de contexto: “O que eu disse é que eu não gosto é de putaria e não gosto mesmo não. Vocês tratem de não querer botar palavra na minha boca. Não admito isso[1] (Redação do Globo Esporte)[1] .” Aos desavisados, deixo claro que frases como “pessoas achando que o Sport só tem viado” e “a viadagem todinha vai comprar” constituem manifestações homofóbicas – e o responsável deve ser punido.

A diretoria do Sport repudiou as atitudes homofóbicas dos membros do conselho. Diversos torcedores e pessoas famosas saíram em apoio ao ex-BBB. Pelo twitter, Gilberto prometeu tomar providências em relação ao caso. 

Na partida do final de semana o Sport Recife fez uma campanha antes da partida contra a homofobia e todos os jogadores tinham o seu nome na camisa seguido de “do Vigor” em alusão a Gil do Vigor, como ficou conhecido no reality show.


[1]    Em áudio enviado à reportagem do Globo Esporte. Para mais, ver em: https://globoesporte.globo.com/pe/futebol/times/sport/noticia/conselheiro-do-sport-faz-ataque-homofobico-a-gil-do-vigor-machuca-muito-diz-ex-bbb.ghtml


Comentários

- Advertisment -Opinião: Ausência de vergonha na cara é ser homofóbico - Olimpia Sports

Últimas Notícias