HomeTênis de MesaBrasil leva 13 medalhas nas duplas e fecha Copa Tango com 33...

Brasil leva 13 medalhas nas duplas e fecha Copa Tango com 33 pódios

-

Ao todo, duplas com brasileiros levaram seis ouros, quatro pratas e três bronzes

A Copa Tango chegou ao fim no domingo, 10, da melhor maneira possível para o Brasil. Nas duplas, que encerraram a programação, os atletas nacionais conseguiram 13 medalhas, sendo seis ouros, quatro pratas e três bronzes. Ao todo, forma 33 pódios do país na competição.

Dentre os seis ouros brasileiros nas parcerias, três foram em disputas de finais (as outras três foram em decisão de grupos únicos). Nas mistas XD17, Danielle Rauen e Luiz Filipe Manara mostraram entrosamento e, após ficarem na liderança do grupo 1, derrotaram os chilenos Matias Lorca e Ailyn Perez por 3 a 0 (11/6, 11/3 e 11/7) na semifinal e superaram Dario Neira/Giselle Muñoz, da Argentina, por 3 a 1 (9/11, 11/9, 11/7 e 11/6) para ficarem com o ouro.

Manara voltou a subir ao lugar mais alto do pódio, ao lado do compatriota Claudio Massad nas duplas masculinas MD18. Depois da primeira fase, os atletas do Brasil bateram a dupla internacional David Poblete (CHI)/Lauquen Lopez (ARG) por 3 a 0 (11/6, 11/6 e 11/6) nas quartas de final. Na semi, as vítimas foram Alejandro Perez/Dario Neira, da Argentina, que perderam pelo mesmo placar (11/3, 11/6 e 14/12.).

A final da MD18 foi verde e amarela. Manara e Massad tiveram pela frente João Nascimento Junior/Lucas Carvalho e tiveram novamente um grande desempenho: 3 a 0, com parciais de 11/9, 11/3 e 11/6. Ouro para Manara/Massad e prata para Junior/Carvalho, dobradinha brasileira.

Nas duplas masculinas MD14, Paulo Salmin e Paulo Henrique Fonseca fizeram grande campanha para ficar com o título. Chegando à semifinal, os brasileiros derrotaram os argentinos Aleksy Kaniuka e Emanuel Alcalde por 3 a 1 (11/7, 11/9, 9/11 e 11/1) na semifinal e, depois, passaram com grande superioridade pelos chilenos Ignacio Orostica e Claudio Vega: 3 a 0, com parciais de 11/1, 11/7 e 11/8.

Os outros títulos nacionais vieram em disputas de grupos únicos. Eziquiel Babes e Thais Severo tiveram campanha arrasadora nas mistas XD 4-7, venceram os quatro jogos que fizeram e perderam somente um set.

Na WD 14-20, Danielle Rauen e Sophia Kelmer também brilharam. As meninas do Brasil triunfaram nas três ocasiões em que foram à mesa, sendo que em duas elas venceram por 3 a 0 (o outro jogo foi 3 a 2), e mereceram ficar com o ouro.

Já a competição das duplas masculinas MD4, a combinação Brasil e Cuba funcionou bem. Iranildo Espíndola e o cubano Yunier Izquierdo terminaram na primeira colocação do grupo ao derrotarem os adversários das duas partidas que tiveram de fazer, ambas sem perder nenhum set.

Disputas individuais

Os dois primeiros dias já haviam sido especiais, com a conquista de 20 medalhas nos torneios individuais. Nas classes 9 e 10 feminina, por exemplo, o Brasil saiu com dobradinha, com Bruna Alexandre com o ouro e Danielle Rauen com a prata.

Na Classe 7, Paulo Henrique Fonseca passou pelo argentino Aleksy Kaniuka por 3 a 0 (11/9, 11/6 e 11/7) na semifinal e, depois, fez final verde e amarela contra Paulo Salmin, que terminaria com a prata. Na decisão, Fonseca ficou com o ouro ao bater o compatriota por 3 a 1 (11/8, 6/11, 11/5 e 11/6).

Na classe 9, Lucas Carvalho conquistou o título. Na classe 3 masculina, Fabio Silva ficou com o ouro. Thais Severo levou a melhor na classe 2-5 feminina. Na classe 7-8, a jovem Sophia Kelmer repetiu as grandes atuações recentes para ir ao lugar mais alto do pódio.

Outros brasileiros também conseguiram chegar às finais e ficaram com a prata. Claudio Massad, na classe 10, foi batido pelo chileno Manuel Farias por 3 a 2 (5/11, 11/4, 5/11, 11/7 e 8/11), enquanto Eziquiel Babes, na classe 4, caiu diante de um atleta do Chile: revés de 3 a 0, com parciais de 13/11, 11/6 e 12/10.

Luiz Filipe Manara também alcançou a final da sua classe. Na 8, o brasileiro teve de medir forças contra o argentino Alejandro Perez. O representante do Brasil acabou superado por 3 a 1, com parciais de 6/11, 12/10, 7/11 e 10/12.

A classe 2 foi decidida em grupo único. Iranildo Espíndola, que era o brasileiro na classe, terminou a sexta-feira na quarta posição e fora da zona de medalhas. Para ir ao pódio, ele precisaria vencer os jogos do sábado para tentar o Top 3. E conseguiu. O experiente atleta bateu os argentinos Luis Fernando Muñoz e Joel Libertino, ambos por 3 a 0. Com isso, ficou com a prata.

Comentários

- Advertisment -spot_img

Últimas Notícias