HomeEstaduaisGauchãoGauchão Feminino 2022 terá patrocinador master, dez clubes envolvidos e transmissão de...

Gauchão Feminino 2022 terá patrocinador master, dez clubes envolvidos e transmissão de todas as partidas

-

Foi lançado na noite de quinta-feira, 14, o Gauchão Feminino 2022. A Federação Gaúcha de Futebol (FGF) apresentou o projeto para a competição que começa em 31 de julho. Estiveram presentes na sede da entidade, em Porto Alegre, atletas, dirigentes, apoiadores e jornalistas.

O evento contou com o depoimento de uma atleta do Elite que emocionou a todos os presentes. Nele, a jogadora conta como foi difícil o início no futebol. A realização e o reconhecimento veio no media day organizado pela FGF. As atletas puderam ter um dia com entrevista, muitas gravações e superproduções para divulgar a competição que começa a crescer no cenário do futebol gaúcho.

Segundo Carla Larini, Commercial Marketing Manager da FGF, o principal argumento para conseguir investimento para a realização do Gauchão 2022 foi o sucesso das últimas edições. Por conta da pandemia de covid-19, as competições de 2020 e 2021 aconteceram de forma reduzida. Mas Larini enfatizou que mesmo nestas condições, a concretização da competição foi fundamental para mostrar que a Federação tem interesse em investir na modalidade.

“Este investimento no futebol feminino é essencial de dentro para fora, a gente tem muitas mulheres hoje trabalhando na FGF em todos os departamentos e sem duvida que o futebol feminino nos mostrou um pouco mais da historia dessas jogadoras, de tudo o que elas passaram. Então o futebol feminino é um xodó nosso. Estamos muito engajados. Hoje a Ipiranga investiu em sonhos”, disse Larini.

Gauchão Feminino 2022 terá patrocinador master, dez clubes envolvidos e transmissão de todas as partidas - Olimpia Sports

As novidades da edição 2022

Esta edição está repleta de novidades. Uma delas é o retorno dos naming rights ao campeonato. Em uma extensão da parceria já firmada no Gauchão masculino entre FGF e Ipiranga, a empresa será também a patrocinadora master da principal competição feminina do estado. Com mais de 80 anos de história, a Ipiranga, uma das maiores redes de distribuição de combustíveis do Brasil, reafirma sua confiança no futebol gaúcho.

Uma das grandes novidades desta edição é que todos os jogos terão transmissão ao vivoA FGF TV transmitirá as partidas das fases classificatórias, das semifinais e ainda a disputa do terceiro lugar. Os dois duelos da grande final serão transmitidos pela RBS TV, em TV aberta, e pelo SporTV, na TV fechada.

O presidente da FGF, Luciano Hocsman, destacou a importância dos apoiadores para o incentivo ao futebol feminino e também lembrou a conversa que teve com jogadoras dos clubes participantes na última semana, em um dos momentos mais emocionantes do Media Day promovido pela FGF.

“Aquelas meninas que estavam na minha sala demonstraram algo que nunca podemos perder: a paixão pelo jogo, a paixão pelo esporte. Fazer da bola uma amiga. Saber combinar paixão e profissionalismo”, salientou Hocsman. “Um dos nossos compromissos de gestão é fortalecer cada vez mais o futebol feminino, através de parcerias que valorizem a modalidade. Agradecemos pela confiança e por apostarem nessas meninas que fazem história no Rio Grande do Sul”.

O regulamento

São dez equipes em busca do título, com duas fases classificatórias. Inicialmente, oito equipes serão divididas em dois grupos, em jogos de turno e returno. Classificam-se as duas melhores colocadas de cada chave.

Grupo 1 – E.C. Flamengo, Adergs, Elite C.D. e Guarany
Grupo 2 – Brasil-Far, S.C Oriente, Vidal Pro e E.C. Juventude

Na segunda fase, as quatro classificadas somam-se a Grêmio e Internacional para a disputa de um hexagonal, com jogos em turno único. Classificam-se as quatro melhores colocadas para as semifinais, realizadas em sistema de ida e volta. A final também será disputada em dois jogos. O duelo valendo o terceiro lugar será em partida única.

Confira as impressões de quem esteve no evento e celebrou o crescimento do futebol feminino gaúcho.

Duda Luizelli – ex-jogadora do Internacional e Ex-coordenadora de seleções femininas da CBF

“É fantástico a gente estar presenciando e vivendo este momento. Eu estava falando que o futebol feminino é algo que as marcas precisam agregar, porque a visibilidade está começando a crescer e o valor ainda é pequeno, comparando com o masculino. A tendência é, eu brinco, um foguete sem ré, com as meninas que jogam por amor, e tem também as que já são profissionais. O Futebol Feminino precisa ser para todos e para todas, eu me emociono vendo depoimentos como este, é importante, e to muito feliz de estar aqui, viver e participar do campeonato gaúcho, agora como torcedora. Eu quero que o futebol evolua dentro e fora de campo. Estamos no caminho certo”.

Juliano Grabrielli – Diretor de Futebol do Brasil de Farroupilha do Futebol Feminino

“Achei importante mudar a fórmula do campeonato. A dupla GreNal entrando na segunda fase proporciona que as meninas do interior joguem mais vezes. Sempre é um desafio fazer o futebol feminino no interior. O Brasil de Farroupilha é referência. Nos últimos 4 anos foram 4 semifinais e 2 títulos do Interior. A ideia é dar trabalho, no ranking nacional o Brasil de Farroupilha está a frente de times tradicionais, como Criciúma, Bragantino, Juventude, Atlético-GO e Goiás. Claro que é difícil competir com Grêmio e Inter porque eles têm um investimento muito maior, mas a ideia é fazer o melhor e dificultar o jogo para eles”.

Ítalo Herberts – Preparador Físico do S. C. Oriente, de Canoas

“A gente não tinha ideia de quem era o patrocinador master da competição, para gente foi uma grande surpresa da marca Ipiranga estar patrocinando o campeonato. A gente sempre fala do quanto o futebol feminino vem crescendo a cada ano e isso só concretiza todo o trabalho que esta sendo feito ano a ano com as meninas. Cada ano vamos lutando e é muito importante saber do apoio da FGF e de todos os envolvidos que o campeonato seja o maior sucesso. O molde apresentado com mais partidas vai dar mais competitividade, os clubes que passarem para as semifinais vão conseguir contratar meninas dos outros clubes, isso a FGF deixou acordado, isso vai deixar ainda mais competitivo a fase final”

Andressa  – Volante e Zagueira do Brasil de Farroupilha

” Este crescimento do Gauchão com mais visibilidade, faz a gente ter muito mais oportunidade de chegar lá em cima e falar eu sai lá do Interior e eu consegui graças a FGF, a federação que nos ajudou a crescer. Eu jogo no Brasil de Farroupilha desde o ano passado e foi uma experiência muito gratificante, porque o time é referência, então foi uma oportunidade. Estar aqui de novo é muito bom” .

Caty Souza – Atacante do Grêmio

“Significa tudo este crescimento do Gauchão. É uma evolução muito grande, onde todas as equipes terão a oportunidade de mostrar o que está sendo feito até hoje. Este é o meu primeiro Gauchão, então vim para ganhar, quero fazer grandes jogos e trazer este título par ao Grêmio. O time vai vir com tudo, vai buscar grandes vitórias e ir atrás do título”.

Capelinha – Meio Campista do S.C. Internacional

“Este é um investimento muito forte para o futebol feminino e também par ao futebol gaúcho. Isso vai dar mais qualidade e crescimento. Vai ser meu primeiro Gauchão, espero fazer um ótimo campeonato. Vou dar tudo dentro de campo, vamos mostrar a força do Inter”

Comentários

- Advertisment -spot_img

Últimas Notícias